Cortejo virtual encerra as duas semanas de ações do Aldeia Sesc de Artes


Publicado em : 26/08/2021 | por Marina Fontenele | Agência Comércio | Atualizado em: 10/09/2021



O Cortejo Pisa Maneiro Folia e Outras Danças vai encerrar a programação do Aldeia Sesc de Artes, que em duas semanas reuniu apresentações e oficinas de música, teatro, dança, circo, literatura e artes visuais. O cortejo virtual será divulgado no próximo sábado (28), às 16h, nos canais do Youtube e Instagram do Sesc em Sergipe.

Grupo Nova Vida do Sesc apresentou o Samba de Coco

Após um ano de pausa devido à pandemia, o desfile dos grupos que tradicionalmente cruzava as ruas do Centro de Aracaju será transmitido pela internet para evitar a aglomeração de pessoas. A gravação foi realizada no Sesc Siqueira Campos, com uma quantidade reduzida de participantes, para facilitar o controle das medidas de saúde e segurança.

Rita Simone fala sobre cuidados para a organização do evento

“Devido à pandemia nós pensamos em um formato menor, com cinco grupos representativos das diversas regiões de Sergipe. Organizamos tudo com muito cuidado. Todos tiveram a temperatura corporal aferida e foram orientados a permanecer de máscara e utilizar álcool a 70%”, explicou a coordenadora de Cultura do Sesc, Rita Simone.

Diretora regional do Sesc, Aparecida Farias, comemora retorno do Aldeia Sesc de Artes

A diretora regional do Sesc, Aparecida Farias, ressaltou a soma de esforços para a retomada do cortejo nesse cenário de avanço da vacinação. “Sou grata ao Departamento Nacional, ao presidente do Sistema Fecomércio/Sesc, Laércio Oliveira, por apoiarem esse projeto com tanto carinho. Agradeço também a toda a equipe de organização e participantes do evento, que é uma demonstração desse patrimônio imaterial incrível que temos aqui no nosso estado”, ressaltou.

Cultura e tradição

Grupo Chegança Santa Cruz se apresentou mais uma vez no Aldeia Sesc de Artes

Para Giselma de Jesus Menezes, mestra do Grupo Chegança Santa Cruz, do município de Itabaiana, voltar ao cortejo promovido pelo Sesc é motivo de muita emoção e alegria.

Lambe Sujo Samba Negro relembra cultura dos escravos

O professor Liér, do Lambe Sujo Samba Negro, destacou os cem anos da fundação grupo de Indiaroba. “A tradição do Lambe Sujo vem desde o tempo da escravidão, quando os negros buscavam uma forma de se divertir e brincar”, explicou.

Tambores deram ritmo a canções que representam o povo negro

O Descidão dos Quilombolas, de Aracaju, cantou músicas que também representam a realidade do povo negro. “O grupo existe há cinco anos e trabalhamos o uso da arte como ferramenta de transformação social e educativa”, disse o vocalista Marcelo Alves dos Santos, conhecido como ‘Neném’

Sesc é vida!

Grupo Nova Vida levou animação e muita dança

Segundo o instrutor de dança folclórica do Sesc, José Nunes Júnior, o idoso se renova quando participa do Grupo Nova Vida, que promove ações de integração social e de consciência corporal. Os integrantes apresentaram a tradição do samba de coco, que tem origem na miscigenação das culturas indígena e africana.

Rosualdo da Conceição conduz grupo de Samba de Coco criado pela avó

“Para mim é minha vida porque se eu ficar sem o samba de coco eu fico velho depressa até adoecer. Eu gosto do samba de coco porque toda a minha família participa”, revelou o mestre de Samba de Coco do Mosqueiro, Rosualdo da Conceição.

Tags:
Autor : Marina Fontenele | Agência Comércio
Categorias : Notícias