Exposição “Os carnavais do Sesc” proporciona viagem no tempo


Publicado em : 19/02/2020 | por Núcleo de Comunicação e Marketing Fecomércio/Sesc/Senac | Agência Comércio | Atualizado em: 19/02/2020



“É no carnaval que encontros e desencontros viram efêmeros ou gestacionais. Há vida, pois as dívidas existiram e sempre existirão. É no carnaval que estamos de passagem por ruas, blocos e tantas pessoas até chegarmos à vida que almejamos: ser festa!”.

O trecho acima, de autoria da curadora Vanderléa Cardoso, abre a exposição “Os carnavais do Sesc”, que estreou na galeria de arte do Sesc Centro no dia 03 de fevereiro e ficará em cartaz até o dia 28 de fevereiro. A galeria funciona das 10h às 19h, de segunda a sexta, com entrada gratuita.

A mostra proporciona uma viagem no tempo pelos carnavais do Sesc Sergipe de 1977 a 1986 através de fotografias analógicas e espaços interativos, como o karaokê de músicas carnavalescas, um espaço que convida os visitantes a produzirem desenhos e textos dentro da temática do carnaval, e o espaço de leitura, que deixa à disposição do público a obra “O país do carnaval”, de Jorge Amado.

A exposição foi construída a partir do conceito de arquivo, por isso a presença das pranchetas como suportes para as fotografias, que evocam o lado analógico e manual. A mostra nasceu através de uma pesquisa no acervo fotográfico do Sesc, onde foram achadas cerca de 200 fotografias referentes à carnavais da instituição nas décadas de 70 e 80.

Depois dos anos 2000, as fotos passaram a ser catalogadas em um formato digital, graças ao avanço tecnológico e a popularização das câmeras digitais. Sendo assim, a exposição convida o visitante a olhar para o passado, entender o presente e pensar no futuro, além de refletir sobre as formas como guardamos o nosso arquivo pessoal.

“Foi muito importante a pesquisa para entender como o Sesc se relaciona com o carnaval. Olhar para o nosso acervo nos faz identificar e reafirmar nossa participação nas manifestações culturais do estado. Ao buscar suas memórias, temos a certeza de que o Sesc sempre foi feito para o coletivo, com a participação do comerciário e sua família”, disse a curadora

O resgate do simples

Como muitas das fotografias resgatadas não foram sinalizadas com informações adicionais, não há dados precisos de quem foram seus autores ou de onde e quando todas foram tiradas, mas um evento recorrente é o famoso BloSesc, um bloco carnavalesco de rua do final da década de 70 e início da década de 80 – retomado brevemente em meados dos anos 2000 – organizado pelo Sistema Fecomércio/Sesc/Senac que percorria da Unidade do Sesc Centro até a Unidade da Atalaia, além das ruas adjacentes, como a Laranjeiras e a Itabaiana.

As fotografias mostram os comerciários em um momento de comunhão e alegria, trajados de mortalhas (um tipo de abadá da época) e em cima de um caminhão. O Carnaval era simples, humanizado e cheio de alegria.

Através deste resgate, o Sesc abre um espaço de nostalgia e lazer para o visitante, independentemente da idade ou se ele fez parte ou não dos eventos retratados.

 “Muitos visitantes se reconheceram nas fotografias, se emocionaram e sentiram-se valorizados e felizes por se verem nas paredes da galeria, o que foi muito legal de ver. Em contrapartida, as crianças também se divertiram muito e se encantaram com as cores e os espaços interativos. A mostra engloba todas as idades”, disse a curadora. 

A comerciária Maira Izabel Santos, de 61 anos, frequenta o Sesc Centro há 30 anos e cativou-se com as fotografias. Entre as fotos escolhidas, Izabel reconheceu um vizinho e antigos colaboradores do Sesc.

“Oh, tempo bom!  Vestíamos essa mortalha e rodávamos as ruas do Centro da cidade, o Siqueira e terminávamos no Sesc Atalaia. É muito bom reviver essas memórias”, exclamou a comerciária.


Autor : Núcleo de Comunicação e Marketing Fecomércio/Sesc/Senac | Agência Comércio
Categorias : Destaque, Notícias Cultura